domingo, 6 de novembro de 2011

TRUPI DI TRAPU


Oficializado em 2008 pelos atores Anderson Gonçalves e Carmen Lima, ambos professores, o grupo de teatro de bonecos teve sua origem em recreações de festas e eventos infantis desde 2006. Preocupados com o distanciamento dos bonecos das escolas e dispostos a facilitar o acesso de todos ao mundo mágico e encantador do teatro de animação, a dupla de atores investe em histórias lúdicas e relacionadas com o dia-a-dia das crianças. O primeiro espetáculo “Frederico e o dentinho fujão”, trata da higiene bucal através da história de um menino que perde um dente de leite e para recuperá-lo chama um super-herói bem atrapalhado. Esta peça nasceu da parceria da Trupi com a ONG Gente Consciente, da Cia Zaffari, com a qual trabalhamos entre 2007 e 2010, com espetáculos em feiras do livro, eventos e mensalmente na livraria Cultura do Bourbon Shopping. Na sequência vieram: “O Sumiço de Floribela” que trabalha o valor das amizades verdadeiras; “Pintou sujeira” que aborda os temas: meio ambiente e cuidados com a natureza; “O Negrinho do Pastoreio”, que estreou em 2009, retrata escravidão e fé através desta lenda regional do sul do Brasil. Produzimos também um espetáculo sobre fábulas e três montagens de adaptações de livros de autores gaúchos: “Jogos de inventar, cantar e dançar” de Viviane Juguero (Bando de Brincantes) no qual a Trupi assina os bonecos e adereços, juntamente com Sayô Martins. “O ventríloquo” de Alcy Cheuiche e o livro do autor Marion Cruz “O que tem na barriga da formiga” são adaptações em parceria com a editora Libretos.                                                   
São também montagens do grupo: “Feito Gato e Rato” cuja temática é a adoção; “A cor da amizade”, que trabalha com as relações de amizade independentes de credo, gênero ou raça. “História de bruxa”, adaptação divertida dos contos “João e Maria” (Irmãos Grimm) e “Piquenique” (Carmen Lima). Destacamos também o espetáculo “Trupikando”, uma colagem de diversas cenas do grupo que foram criadas ao longo destes três anos de experimentos. Temos também espetáculos temáticos para Natal, Páscoa e outras datas comemorativas, além de um mini espetáculo para professores que aborda, de forma divertida e lúdica, o dia-a-dia do educador e sua relação com os educandos.
Em cada montagem a Trupi busca experimentar novas linguagens mesclando possibilidades e formas de animação, criando espetáculos vivos e dinâmicos.
Dentre alguns eventos que participou, podemos destacar: três edições da Maratona de Contação de Histórias do teatro de Arena (Porto Alegre); três edições da Feira do Livro de Porto Alegre; Feira do Livro de Capão da Canoa e Feira do livro de Caçapava. Em 2011 participa da 6ª edição do Palco Giratório regional, junto com o Bando de Brincantes; destaque também para projeto Sesc – Teatro à mil (turnê pelo interior do estado); 14ª Jornada Literária de Passo Fundo- RS; 10º Fórum Social Mundial, dentro da programação do Forinho (2010); Projeto De Cada Canto – em Bauru- SP (2011); 23º Festival Internacional de Canela (programação extra oficial), além de diversas apresentações em shoppings da capital, seminários e eventos em Porto Alegre e região metropolitana. O grupo trabalha desde 2007 na equipe que integra a produção do programa infantil Pandorga da rede estatal TVE-RS, com manipulação e assistência de produção.
O grupo ministra oficinas de confecção e manipulação de bonecos e contação de histórias.
Em 2010 cria e coordena o evento “SUSTENTAÇÃO – Mostra Sustentável de Teatro de Bonecos de Porto Alegre”, que em duas edições reuniu grupos como “Só Rindo” (Canela- RS), “A Hora do Anjo” (Porto Alegre-RS), “Cia Nazareno” (Caxias do Sul), Cia. Goliardos (Canela-RS),Cia Reticências (Alvorada-RS),Divina Comédia(Maquiné-RS)  entre outros.
Na formação “bonequeira” do grupo estão cursos e workshops com: Paulo Ballardim e Carolina Garcia (Caixa do Elefante- RS); Cia Gente Falante(RS); Cia Truks(SP); Ardri Sobrero (Agarrate Catalina – ARG) e com o mestre mamulengueiro Fernando Augusto Gonçalves (PE).
Mais informações sobre o grupo em www.trupiditrapo.blogspot.com ou em www.mostradebonecospoa.blogspot.com.

ANDERSON BORGES GONÇALVES, Gaúcho de Santa Maria, nasceu em 13/03/1985.
Foto: Bruno Gomes
Formado em magistério (2005) e pedagogia (2009), atuou como professor em educação infantil entre 2003 e 2009. A sua participação em teatro iniciou no Tipie do Instituto de Educação Gal. Flores da Cunha (2001), aonde teve como orientadores os professores Paulo Mauro e Mônica Bonatto. Após um período em Campinas-SP (2005/2006), retornou ao teatro participando de oficinas de interpretação com exercício de montagem no Grupo dos Cinco, sob orientação do diretor Beto Russo e da atriz Sandra Alencar no espaço Usina das Artes, em Porto Alegre (2007). No mesmo ano ingressa na escola de formação de atuadores do grupo Oi Nóis Aqui Traveis (conclusão 2008). Em 2008, juntamente com Carmen Lima, funda o grupo Trupi di Trapu – teatro de bonecos comprometido com a pesquisa e criação de espetáculos teatrais na linguagem dos bonecos. É o coordenador do grupo responsável pela produção, criação de roteiros e confecção de bonecos e cenários. Os diversos espetáculos montados com a Trupi somam-se ao seu currículo. PARTICIPAÇÃO NO ELENCO E PRODUÇÃO DO PROGRAMA INFANTIL PANDORGA DA TVE-RS (DESDE 2007). Ainda na área dos bonecos participou de curso sobre a história do teatro de bonecos no projeto "SESI – Bonecos do Brasil" em outubro de 2006, com o mestre Fernando Augusto Gonçalves , em Porto Alegre; oficinas de manipulação de bonecos de luva com a Cia. Gente Falante (2008) e com a Cia. Caixa do Elefante (2010) ambos d ePorto Alegre; e do workshop de confecção de bonecos italianos com material alternativo, realizado no Teatro de Arena,Porto Alegre, ministrado por Márcia Berselli em novembro de 2010. Em 2011 participou de oficinas com a Cia. Truks (SP) e com a titiriteira Ardri Sobrero (Arg), durante a 5ª Mostra de Teatro de Bonecos de Mariana-MG. Registro no SATED sob nº

CARMEN LÚCIA DOS REIS LIMA, Gaúcha de Porto Alegre nasceu em 14/12/1969.
Foto: Bruno Gomes
Formada em magistério (1990) e pedagogia (1994), professora em séries iniciais e educação infantil desde o ano 2000, na rede pública estadual. Há 12 anos possui grupo de animação e recreação em festas e eventos infantis. Iniciou sua trajetória no teatro em 1995 ao participar de uma oficina de iniciação teatral com Olga Reverbel, a oficina culminou com uma montagem de "Gota d' água" sob orientação de Vera Potoff e Vinicíus Lopes. O espetáculo cumpriu temporada em Porto Alegre e participou de um festival na cidade de Erechim-RS. Em 1996/97 participa de oficina de teatro com montagem no grupo "Ares da Graça" com a direção de Roberto Fernandes. A montagem de "Cassino Atlântida" teve temporadas em Porto Alegre e Santa Catarina. No final de 1997 está no elenco do projeto "Mundo Encantado", evento temático que contava histórias clássicas dos contos de fadas em um grande cenário montado no terreno ao lado do shopping Praia de Belas, com direção executiva de Ana Soares e direção de cena de Paulo Galarça. No ano de 1998, participa da montagem do espetáculo adulto "Luzes do infinito", do grupo "Mercadores da Ribalta", com direção de Douglas Salles. O espetáculo passou por Novo Hamburgo e Porto Alegre. No mesmo ano atua no espetáculo "O patinho pateta", com direção de Pedro Delgado da Cia. Poliatos de experimentação cênica. O espetáculo infantil era baseado nas estripulias do Pato pateta da canção de Vinícius de Moraes e ficou em cartaz durante o mês de novembro do ano citado. Após um período afastada do teatro convencional, mas em ativa com teatro de bonecos nas recreações, funda juntamente com Anderson Gonçalves, a "Trupi di Trapu – teatro de bonecos" que desde 2008 realiza experiências e pesquisas na arte do teatro de bonecos e teatro de animação. É responsável por figurinos, criação de roteiros e confecção de cenários. Os diversos espetáculos montados com a Trupi somam-se ao seu currículo. PARTICIPAÇÃO NO ELENCO E PRODUÇÃO DO PROGRAMA INFANTIL PANDORGA DA TVE-RS (DESDE 2007). Ainda na área dos bonecos participou de curso sobre a história do teatro de bonecos no projeto "SESI – Bonecos do Brasil" em outubro de 2006, com o mestre Fernando Augusto Gonçalves, em Porto Alegre; e do workshop de confecção de bonecos italianos com material alternativo, realizado no Teatro de Arena, Porto Alegre, ministrado por Márcia Berselli em novembro de 2010. Registrada no Sated-rs sob o número 5041,desde 1997.